Prezado editor, venho dizer, em poucas palavras, de minha experiência com a audiodescrição e de como me senti ao vivenciar essa tecnologia e o respeito a esse direito. Espero que com isso mais pessoas possam sentir-se estimuladas a reivindicar e se beneficiar desse recurso de acessibilidade comunicacional. Sou Roberto Cabral, bacharel em direito, servidor concursado … Continue reading Uma visão sobre audiodescrição
undefined
Audio Description Worldwide Consortium
Áudio-descrição da logo da RBTV: Revista Brasileira de Tradução Visual. Em um fundo branco, a mão direita faz a letra t em libras. O indicador e o polegar se cruzam, os demais dedos ficam erguidos. Próximo ao indicador há, em verde, 3 ondas sonoras. Abaixo da mão, lê-se RBTV, com letras verdes e com letras Braille em preto.

Uma visão sobre audiodescrição

Prezado editor, venho dizer, em poucas palavras, de minha experiência com a audiodescrição e de como me senti ao vivenciar essa tecnologia e o respeito a esse direito. Espero que com isso mais pessoas possam sentir-se estimuladas a reivindicar e se beneficiar desse recurso de acessibilidade comunicacional.

Sou Roberto Cabral, bacharel em direito, servidor concursado do Ministério Público de Pernambuco, onde atuo na coleta de informações relativas às pessoas com deficiência, difundindo-as em veículos de comunicação, conselhos de defesa de direitos, entidades do gênero, além de apoiar eventos como audiências públicas, mesa redonda, congresso e de proferir palestras.

Cego desde os 15 anos, conheço a realidade de ver, a de não ver, e ainda a de não ver, utilizando a audiodescrição de filmes, bem como a de  espetáculos, como os  exibidos pelo “Palco Giratório” do SESC, edição 2010, em Recife.

Dessas experiências, capto que a técnica não substitui o sentido da visão, mas se feita com responsabilidade e qualidade contribui para diminuir sobremaneira o prejuízo causado pelo déficit visual, quando a transmissão dos dados visuais indispensáveis à compreensão dos indivíduos com deficiência não vem com acessibilidade comunicacional.

De tal relevo, depreendo que cabe aos atuais e potenciais usuários inteirar-se e apoderar-se dessa conquista para monitorar e cobrar sua efetivação, a qual, em contrapartida, trará ganhos também para sociedade e ofertantes, tais como: destaque na responsabilidade social, maior difusão e lucros, na medida em que essa tecnologia seja disponibilizada mais por uma compreensão pedagógica do que por um caráter punitivo, antes do prazo imposto pela legislação.

Como citar esse artigo [ISO 690/2010]:
Cabral Roberto 2010. Uma visão sobre audiodescrição [online]. [visto em 23/ 05/ 2019]. Disponível em: https://audiodescriptionworldwide.com/rbtv/uma-visao-sobre-audiodescricao/.
Revista Brasileira de Tradução Visual

Este artigo faz parte da edição de número volume: 4, nº 4 (2010).
Para conhecer a edição completa, acesse: https://audiodescriptionworldwide.com/rbtv/rbtv-4-sumario.

Published by

Leave a Reply